segunda-feira, 13 de abril de 2009

Estreias e baptismo

Esta foi uma semana cheia de novidades.

Para comecar a semana adquiri o meu primeiro veiculo de sempre, um Daihatsu Feroza. O pobre infeliz na sua primeira semanita teve que passar por umas quantas provas de fogo e, apesar de ter tido 2 furos e de ter ficado sem bateria a subir uma curva (um fio saltou com a trepidacao), posso dizer que passou com distincao e louvor. Enfrentou as estradas santomenses, que desafiam o proprio conceito de estrada e quena Europa estariam restritas apenas aos todo-o-terreno mais destemidos. Tambem passou por uma chuvada tropical, mas a mencao de honra vai mesmo para ter ido quase ate ao quintal de Binda e voltado. Nao sabem onde fica Binda? Pois e natural, mas o mesmo seria dizer que foi ao fim do mundo e voltou. Binda fica no fim de um longo caminho, depois do fim da estrada. A estrada tem menos de 50km desde a capital, mas duvido que seja possivel fazer em menos de 1h30, tal e a quantidade de buracos, derrocadas, curvas e condutores tresloucados. E o caminho, bem na verdade duvido que se possa chamar aquilo um caminho: calhaus, valetas, desfiladeiros, lombas, lama, derrocadas, arvores e ribeiros deram cabo daquilo que um dia pode ter sido um caminho, mas que hoje em dia e simplesmente o pesadelo de qualquer condutor. E ainda por cima era a descer, o que me fez recear que aquele seria um caminho sem retorno para o meu recem adquirido veiculo! Mas o Feroza mostrou a sua raca e tirou-nos daquele verdadeiro buraco!

A fera no seu merecido descanso domingueiro.

Para alem da aventura em Binda, que nao ficou verdadeiramente marcada por grande produtividade em termos de trabalho, fiz ainda dois percursos a pe: Bemposta-Chamico-Bom Sucesso-Nova Moka e Nova Moka-Nova Ceilao-Tras os Montes-Aguas Belas-Bombaim. Ambos potenciais areas de trabalho, mas o segundo verdadeiramente mais espetacular, que inclui uma descida dos 1400 ate aos 400m com uma vista absolutamente brutal sobre grande parte da ilha!
Vista panoramica a partir do topo de Nova Ceilao, para o Sul da ilha. Em primeiro plano a esquerda, a Peninha (1336m) e a direita, Morro de Dentro (1382m). Ao longe da para ver a mais alta agulha vulcanica da ilha, o Pico Cao Grande (663m). E muito do que dava para ver ficou fora da foto...

E como estavamos mesmo em semana de estreias e ainda nao tinha apanhado uma molha a serio, e claro que nao me ia escapar do meu batismo de chuvada tropical! E acreditem que molha memso... Algures entre Nova Ceilao e Tras-os-Montes, o ceu desabou sobre as nossas cabecas e la fomos pelo meio da agua e da lama, tentando chegar a um sitio mais seco. E no sitio onde estavamos podia ter sido dificil. Nao existem pontes e se chove demais podemos ficar encurralados entre rios a espera que de para saltar o rio novamente!

Eu ja achei arriscado saltar o rio. Por os pes em rochas submersas e andar ao longo de um tronco muito escorregadio, mas depois de nos ainda saltaram estes madeireiros, cada um com duas mega-tabuas a cabeca!

Ja no fim-de-semana fomos ate a Praia das Conchas, onde o pessoal com dinheiro controi as suas brutas mansoes de ferias. E apesar do tamanho minusculo da praia valeu bem a pena. Agua quentinha e transparente, areia limpa a escaldar e sombra q.b.. E em semana de estreias passei horas a descobrir o fascinio do snorkling. Aconselho a que ninguem cometa o meu erro de nao ter trazido tubo e oculos de mergulho. Para Sao Tome e obrigatorio. Meia duzia de euros vai vos render horas maravilhosas sem fim, a perseguir peixes coloridos e de todos os formatos!

3 comentários:

Eduardo Marabuto disse...

Eh pa... cum caneco! E não consigo dizer mais nada.
Abraço!

Sandra disse...

Bolas... isso é que são verdadeiras aventuras, também quero...Beijo

abelharuco disse...

Bem, finalmente consigo deixar aqui um comentário ... já me tinha esquecido do meu username e hoje consegui lembrar-me!!!
Grandes aventuras =))) Belo Daihatsu Feroza;)) axo k a nadine ainda n o viu!...
Depois desta leitura toda só aptece pegar na mochila e ir para o campo. ou para S. Tomé!
Beijinhos,
Raquel